Principal Notícias Vazio sanitário da soja começa nesta sexta em MS

Vazio sanitário da soja começa nesta sexta em MS

VAZIO SOJA CAPA SIFEMS

O vazio sanitário da soja, período em que é proibido o cultivo da oleaginosa para reduzir a quantidade de esporos da ferrugem asiática diminuindo a possibilidade de incidência da doença, começa nesta sexta-feira, 15 de junho e vai até 15 de setembro, em Mato Grosso do Sul. Nestes 90 dias os produtores não poderão cultivar o grão no estado e ainda deverão eliminar todas as plantas voluntárias, conhecidas como guaxas ou tigueras, nas propriedades, seja por meio de processos mecânicos ou químicos.

O descumprimento das normas do vazio sanitário da soja em Mato Grosso do Sul pode implicar em autuação da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) e multa de até mil unidades fiscais estaduais de referência (Uferms), que com a cotação de junho em R$ 25,91, pode representar até R$ 25.910,00.

Ferrugem em MS

Mato Grosso do Sul encerrou a safra 2017/2018 de soja com o segundo maior número de casos de ferrugem asiática do país. Segundo o Consorcio Antiferrugem, a parceria público-privada que atua no combate a doença, o estado registrou na temporada 114 ocorrências. O número é superado apenas pelo do Rio Grande do Sul, que contabilizou 125. Em todo país foram 641.

Em relação a safra passada, 2016/2017, o número de casos em Mato Grosso do Sul cresceu 78,12%. Também foi a maior incidência das últimas nove temporadas. O último surto havia ocorrido na temporada 2009/2010, quando os agricultores sul-mato-grossenses contabilizaram 333 ocorrências da doença.

Nesta temporada foram registrados casos em 15 municípios do estado: Antonio João, Aral Moreira, Bonito, Caarapó, Campo Grande, Cassilândia, Chapadão do Sul, Costa Rica, Dourados, Itaporã, Laguna Carapã, Maracaju, Naviraí, São Gabriel do Oeste e Sidrolândia.

O maior número de registros ocorreu em Chapadão do Sul, com 65, seguido por Maracaju, com 11 e São Gabriel do Oeste, com 9 casos.

O que é a ferrugem asiática

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a ferrugem é considerada uma das doenças mais severas que incidem na cultura e pode ocorrer em qualquer estádio fenológico da cultura.

Plantas infectadas apresentam desfolha precoce, comprometendo a formação e o enchimento de vagens, reduzindo o peso final dos grãos. Nas diversas regiões geográficas onde a ferrugem asiática foi relatada em níveis epidêmicos, os danos variam de 10% a 90% da produção.

Fonte: G1/MS / Foto: Edemir Rodrigues

 

Adicione seu comentário. Participe!

ATENÇÃO
 
Os textos inseridos são de inteira responsabilidade daqueles que os postam.
O SIFEMS se isenta de toda e qualquer responsabilidade nos comentários publicados por seus filiados, por vez que se limita a ser mero veinculador do texto publicado. Os textos que forem inseridos por seus filiados serão automaticamente publicados, não sendo realizado qualquer moderação. Contudo alertamos que se forem utilizados textos ofensivos ou mesmo utilizado de forma pejorativa, o SIFEMS editará ou excluirá o mesmo, entretanto após a sua publicação. Entretanto os textos inseridos por não filiados dependerão de moderação para serem publicados.

Diretoria de Publicidade


Código de segurança
Atualizar


A CARREIRA DE FISCAL


frederico fundo


Fiscal
Estadual
Agropecuário


Entre e conheça

NAS REDES SOCIAIS


Você também encontra o SIFEMS no

 

 

ico twitter    ico facebook    ico youtube    ico googleplus

Entre e compartilhe